quinta-feira, 13 de agosto de 2009

...como um idiota...

A gente costuma não saber falar bem das coisas que mais nos tocam, pois chega a ser irracional. Não sabemos bem o porquê, mas aquilo mexe conosco de tal maneira que não é possível objetivar em palavras uma justificativa plausível e que cause a mesma coisa nos demais.

E, para mim, isso acontece com as músicas do Milton Nascimento. Quase todas. Não sei falar delas, fico como um idiota procurando palavras, e simplesmente resulta em algo ridículo. Já tive experiência com outros dois posts sobre o assunto (aqui e aqui), e vi que não dá certo. Por isso, vou simplesmente colocar aqui a primeira música na voz dele que me rendeu (pois a composição não é dele).



O monstruoso solo do final é do Toninho Horta. Quem for ao Festival Música do Mundo poderá acompanhar a ambos, e quem sabe até em algum momento juntos...

3 comentários:

Papagaio Mudo disse...

eu caçador de mim no please...

:)

Eduardo Ferreira disse...

Ah, Papagaio, desculpa, mas foi a primeira música dele que ouvi de verdade e gostei... hahaha! E, enfim, ela é boa! Vou até ver se coloco um adendo no final do post falando o porquê gosto dela. Um abraço!

bruna kim oshiro disse...

oi du.. desculpe, só hj vi o seu post.. é um desenho de um abajur de banqueiro (bankers lamp), que aparece em vários filmes... estava meio fissurada nele.. mas descobri que estava mais fissurada pela luz do que pelo abajur..
quanto ao trabalho da alice, achei legal, vc meio que desdobrou-o, foi uma resposta positiva.. ela deve ter adorado..
um abração!
bruna