terça-feira, 22 de julho de 2008

...realidade cinematográfica...

Esse será meu primeiro post sobre cinema. E talvez seja o último, porque não costumo ver muitos filmes (em torno de 1.5/mês... Uma média deplorável!).

"Sonhos Com Shanghai ", do diretor Wang Xiaoshuai, é um belo filme de fato. Exibido na mostra de cinema contemporâneo chinês do Centro Cultural São Paulo, é daqueles que impressiona e arrepia até o último fio de cabelo. Aqueles que esperam golpes marciais, ou surrealidades, esqueça. É um filme da vida real.
E é simplesmente isso que ele é. Construído numa história forte, dramática, agoniante, leva o espectador a pensar na vida cotidiana, nos pequenos atos que levam a outros pequenos atos, que ocasionam outros, os quais por sua vez, mudam uma vida. Impressionante, simplesmente. Ao término do filme, não se sabe o que dizer. O coração pesa, almeja por descarregar-se, mas não há o que falar. E, talvez sendo esse o maior mérito do filme, não há quem culpar. Essa é que é a verdade. Na vida não há culpados. Não há carrascos. O que há são justamente pequenos atos que levam a outros pequenos atos, que por sua vez desbocam em acontecimentos extraordinários (para bem ou para mal). E todos experimentam isso todo dia, a cada momento. Justamente essa inculpabilidade é que faz do pós-filme um verdadeiro sofrimento de indecisão e uma obra de arte de altíssima qualidade.
Aqui, link para a sinópse do filme.

3 comentários:

HeLô disse...

Gostei do post ^^

Números são importantes, mas também não são essenciais, eu acho... O importante é que seja real...

Pedro Conti disse...

Pequenos atos que levam a outros atos!!! essa eh a grande realidade das coisas.
Po cara fiquei curioso com esse filme!

Pedro disse...

Muito bom texto, Edu... aliás, vc tem se superado a cada post.

Abração

Pedro