domingo, 27 de janeiro de 2008

...iberê camargo...


A verdade é estava evitando de falar de alguma obra de Iberê Camargo... Evitava porque o considero o melhor pintor brasileiro de todos os tempos, e falar dele portanto é algo difícil... E, sinceramente, estava com medo de falar dele, e acabar falando bobagens, embora tenha lido mais sobre ele do que sobre design, que é o que faço... Mas, não podia mais adiar...!
Essa tela se chama Carretéis (1958). Venâncio Filho o considera como um moderno tardio. Por essa pintura, é capaz de se perceber o porquê. O quadro é composto por desenhos de carretéis, o brinquedo da infância de Iberê, e o modo como os pinta, como os estrutura e dispõe no quadro demonstra forte influência cubista, que já se havia encerrado anos atrás. Os carretéis encontram-se empilhados, sem uma iluminação padrão, alguns estão até mesmo chapados na tela. Essa fase de Iberê, a fase pré-abstrata, é a fase em que questiona sua própria maneira de pintar, rasgando, expondo, destruíndo a forma que aprendera em sua fase de estudo na Europa com De Chirico e outros pintores. E essa procura por uma nova forma, Iberê a procura por si. Não queria formulas prontas, e por isso sua passagem da figuração para a abstração, e de volta à figuração na década de 80.
Esse quadro está dividido como que pelo centro, verticalmente, com ambas metades quase simétricas. Nas pontas. temos duas estruturas verticais, de mesmo peso visual, uma branca, outra branca e azul. Há próximo ao centro um carretél isolado vermelho que chama a atenção para si, e trabalha de contrapeso para um carretél branco, ao lado direto acima. O olhar, a partir desse carretél, começa a pulular pelos carretéis brancos, e passa por três hastes verticais na parte debaixo. Com cores sóbrias e uma tonalidade escura, características de Iberê, o quadro sustenta-se justamente por essa combinação de cores, formas e relações. Postarei no futuro algo sobre sua fase abstrata. Por enquanto, visitem o site da fundação Iberê Camargo.

Um comentário:

Beatriz disse...

Oi Edu,
Cheguei de viagem hoje e só tive notícia do seu blog agora.
Meus parabéns pela iniciativa, acho que vai resultar num trabalho muito legal! Gosto das suas opiniões e confio muito no que vai dizer aqui.
Quanto ao Iberê, confesso que não conheço muito... Então uma opinião artística minha fica para o próximo post!

Beijo