segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

...arte africana...

Depois de três posts seguidos de artistas com vários pontos em comum, além do fato de serem pintores, optei por continuar com um pintor, porém de uma linha diferente das demais. Odili Donald Odita é um artista africano atuante, que ano passado participou da aclamada Bienal de Veneza com uma grande "instalação", se é que pode ser chamada assim.
Nascido na África, muda-se cedo para os Estados Unidos, onde começa sua formação artística como artista abstrato. Conhece um núcleo de artistas nigerianos também e trava contato com sua cultura. Numa análise em aula de Agnaldo Farias, a obra, exposta na bienal de veneza, possui profunda ligação com a arte africana. Como uma forma de cada família mostrar sua marca e suas características, pintavam na frente de suas casas texturas visuais como a acima, mas isso não como senso artístico, e sim como identificação social, sendo feita a muitos anos. Nessa instalação, Odita pinta todas paredes de uma única sala com esse tipo de textura, criando uma "aura", uma atmosfera, que nada tem a ver com um museu, mas muito mais com uma decoração tropical, embora feitas dos mesmos elementos geométricos que trabalharam artistas do hard-edge, tipo de pintura concreta abstrata.
Ora, a abstração na arte ocidental apareceu em 1910 na Europa com Kandisnky, e há muito tempo já se vinha fazendo na África, embora sem a intenção artística européia. Trata-se sem dúvida da pintura concreta européia com cores e aspectos africanos. Isso serve para a pergunta que já foi apontada em um post anterior: pelo fato de não terem a mesma intenção, os pintores africanos não são artistas como os europeus? Ou seja, é a intenção artística que torna algum trabalho uma obra de arte? Arthur Bispo do Rosário por não se considerar artista, o seria ou não? O trabalho artístico possui autonomia suficiente para dissociar-se de seu idealizador?
São perguntas que não querem calar... E algum dia conseguirei respondê-las... Novamente, ao invés da resposta, contentem-se com o site do artista.

2 comentários:

Beatriz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Beatriz disse...

Acho que me falta muito o que ler e refletir para responder essas perguntas...
Eu sempre pensei ingenuamente que arte era algo que aguçasse a nossa percepção, possibilitasse uma visão ou um tratamento diferente a temas ou conflitos tipicamente humanos.
Após estudar um pouco e perceber os níveis e hierarquias que diferenciam muitas idéias e representações, passei a entender que não sou eu quem define a arte, e sim alguém socialmente aceito e designado para determinar isso pra mim e para todas as outras pessoas. E essa pessoa levará em consideração aspectos e relações pessoais.
Porque afinal das contas,
tudo o que o homem faz é política.
.
.
.
ou não?