quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

...colchão...

Valeska Soares, mais uma artista nacional da década de 80 de expressão internacional, já expôs inclusive na Bienal de Venesa, uma das mais importantes exposições de arte, junto da Documenta Kassel e, quem diria!, da nossa Bienal de São Paulo, onde já expos também.

Nesse trabalho, exposto ano passado na Galeria Fortes Vilaça, Untitled, from After [Mattress I] , 2007 , da série After, é um dos trabalhos que bem mostram a direção e capacidade da artista. O material usado pela artista para o trabalho é o mármore, e é isso que faz o trabalho acontecer: Valeska brinca com a percepção do espectador. O olhar tátil deste o engana, dando aparência de maciez a algo que é duro. E o nome dado à série, After, nos faz intuir, pelas marcas no colchão, que o trabalho é como que resultado de algo feito anteriormente: after something, provavelmente, alguém deitar-se. Essas marcas são o que nos dá a impressão de uso, de fofura, de mole. Talvez o intuito da artista é justamente confundir o visitante, demonstrando que nem tudo é o que parece.
Outro ponto interessante é que esse material, o mármore, remete ao passado, às esculturas renascentistas que tanto impressionam as pessoas. O colchão esculpido pela artista de fato demonstra bastante habilidade pela semelhança que possui com a realidade. Chega a ser irônico um material tão nobre e uma execução tão bem acabada terem sido usados para talhar um colchão, e ainda um colchão usado. Mas se a artista usou um material nobre, e empregou tamanha habilidade, o que a difere das adoradas estátuas renascentistas? A arte estaria, portanto, no virtuosismo do artista, como muita gente acredita ao ver um belo quadro acadêmico, mas que nada fala? Ou a arte estaria no subjetivo, no algo mais além da aparência? Ortega y Gasset nos diz em seu livro A desumanização da arte que o homem deve procurar na arte o que ele não encontra na vida real. O que não faz parte do seu cotidiano. E não tem ele razão?

Um comentário:

Felipe disse...

Parabens Du, me surpreendeu, muito bom o texto e a analise. Vc ta escrevendo bem e com relevancia, sem muita enrolação. Muito bom mesmo, parabens.